Blog do Quesada

Busca

17/04/2010

Bananas para o racismo

No campo de futebol sempre vale tudo. Desde xingar a mãe do árbitro ou do adversário, cusparadas no rosto e passadas de mão nas nádegas. Não defendo as atitudes mas não posso fechar os olhos para a dura realidade das partidas de futebol. Jogo sujo mesmo. Catimba.

As leis dos campos de futebol são assim, mas quando o assunto é a cor da pele...

Eu fui educado desde pequeno a não distinguir as pessoas pela cor da pele. Considero o fim dos tempos a tal raça ariana defendida por Hitler ou pelos fascistas de Mussolini. O apartheid sul-africano é uma das coisas mais imbecis da nossa história. Mandela que lutou contra a segregação que o diga.

Danilo disse que não pensa de forma racista. Ótimo Danilo. Então que aprenda a não proferir palavras ofensivas da próxima vez mesmo tendo a mãe chamada por um termo que nenhuma mãe e filho gostam. Já Manuel que tenha cuidado também com as reações verbais para não passar simplesmente na condição de coitadinho ofendido.

Lição para os dois, para os outros jogadores e para todos nós. Palavras mal colocadas são rebatidas com outras piores.

Para os racistas, muitas bananas e a lei.

Por Leandro Quesada às 17h23

16/04/2010

Garra palmeirense compensa placar

A vitória por 1 a 0 foi magra. Não importa. Valeu pela raça, garra e disposição mostradas por um elenco massacrado pelos insucessos seguidos.

Não foi o placar elástico desejado pelo Palmeiras para ter a tranquilidade no jogo da volta em Curitiba. Lá será uma pedreira. Clima mais tenso por conta das acusações de Manuel que teria sido ofendido por Danilo com termos racistas.

O importante é recuperar a auto-estima perdida depois das pancadas que o verdão sofreu nos últimos meses.

Na partida disputada no Palestra eu vi a falta que Cleiton Xavier faz ao time pelos passes, assistências e a marcação.

Outra constatação visível é Robert ter conquistado com muito suor um lugar no ataque. Ele atuou em todas as 24 partidas do Palmeiras no ano e se coloca como o goleador com 14 gols.

Robert merece mais apoio da torcida palestrina.

Por Leandro Quesada às 00h04

15/04/2010

¨Não!¨ para o interesse madrilenho por Neymar

O Real Madrid terá de esperar o momento certo para contratar o jovem atacante, sensação do futebol brasileiro.

Luis Álvaro, presidente santista, vê Neymar ainda sem a maturidade necessária para jogar na Europa: ¨Ele está muito novo¨. Opinião com a qual o técnico Dorival Júnior não concorda: ¨Ele tem personalidade para jogar em qualquer lugar¨.

O dirigente revelou que os madrilenhos tentarão um novo contato telefônico com a intenção de revelar a proposta oficial. ¨Que não percam tempo. Digo ´no` para eles¨, avisa.

A multa de rescisão de contrato de Neymar está estipulada em 35 milhões de euros.

Por Leandro Quesada às 03h15

14/04/2010

Neymar segue os passos de Robinho

É incrível como a projeção da carreira do jovem atacante se compara ao Rei das pedaladas.

No Santos de 2002, em mais uma geração dos meninos da Vila, surgiu Robinho, dono de canelas finas e dribles cheios de molecagem. Os europeus já estavam de olho e três anos depois ele seguia para o Santiago Bernabéu.

Acompanhar o futebol de Neymar agora é voltar no tempo e lembrar do menino Robinho.

Robinho saiu do Santos para defender o poderoso Real Madrid pelas mãos de Wagner Ribeiro, hoje agente de Neymar. Depois deixou a Espanha para atuar no Manchester City em uma negociação muito criticada pelo fato do time inglês não ser tão forte para disputar títulos.

Espero que Neymar não abandone o Santos mas se acontecer que um dia ele não deixe o Real Madrid para defender um clube sem o poder de ganhar campeonatos e sem mídia. Que siga os passos bons de Robinho. Apenas os bons.

Por Leandro Quesada às 13h06

13/04/2010

Copa de 2014: boatos, interesses e brigas

Os boatos sobre o veto ao Morumbi são apenas um dos pontos de desinformação que cercam a organização do mundial no Brasil.

Desinformação alimentada por alguns envolvidos.

A Fifa contribui para a discórdia no momento em que o secretário da entidade Jerome Walcke critica publicamente apenas o projeto são-paulino. Não ouvimos nada sobre o Maracanã ou Mineirão, dois estádios que vão passar por grandes obras.

A entidade que manda no futebol nunca escondeu o desejo de erguer novas arenas. Fácil entender. Novos estádios exigem mais dinheiro, consequentemente, mais investimentos são feitos e mais gente sai feliz. Uma ótima oportunidade de enriquecer.

Três cidades querem a abertura do evento: Belo Horizonte, Brasília e São Paulo. Claro que há também uma disputa na esfera de governos. A capital federal larga na frente.

Na esfera esportiva, o duelo São Paulo FC x CBF esquenta. A vitória de Fábio Koff no Clube dos 13, apoiado por Juvenal Juvêncio, foi um golpe político para Ricardo Teixeira que não conseguiu emplacar o amigo Kléber Leite. O tricolor teme a retaliação de Teixeira na escolha do Morumbi. A CBF também reforça o apoio ao projeto de um novo estádio que seria bancado por Federação Paulista de Futebol e o Corinthians na capital paulista.

Em breve as cenas do próximo capítulo.

 

Por Leandro Quesada às 13h33

12/04/2010

UOL Esportes antecipou a vitória de Koff

Em duas postagens que fiz no blogdoquesada indiquei apenas uma traição capaz de tirar o atual mandatário do poder central do Clube dos 13.

Na outra, o placar da decisão: Koff 12 x 8 Kléber.

Quem leu o UOL esportes soube primeiro.

 

 Sem traições, Koff ganha a eleição do C13

Se os clubes que manifestam apoio a Fábio Koff não mudarem de posição na última hora, o grupo da situação garante a vitória na eleição do Clube dos 13.

Doze presidentes de clubes fazem parte da chapa composta por quatro vices, quatro integrantes do conselho fiscal e mais quatro do conselho de ética. Os vices são Juvenal Juvêncio do São Paulo, Patrícia Amorim do Flamengo, Vitório Píffero do Internacional e Marcos Malucelli do Atlético-PR; no fiscal estão Alexandre Kalil do Atlético-MG, Manuel da Lupa da Portuguesa, Marcelo Guimarães do Bahia e Silvio Guimarães do Sport Recife; no de ética, Luis Beluzzo do Palmeiras, Leonel Almeida do Guarani, Roberto Horcades do Fluminense e Duda Kroeff do Grêmio.

Do lado da oposição apenas três dos 12 integrantes da chapa de Kleber Leite têm direito ao voto: Andrés Sanchez do Corinthians, Mauricio Assunção do Botafogo e Syd de Oliveira do Goiás. O outro vice Wilson Ribeiro do Coritiba não tem direito de participar da escolha.

Os outros participantes do time de Kléber Leite que não são presidentes de clubes também não podem votar: José Mandarino do Vasco, Alvimar Perrela do Cruzeiro, Carlos Sampaio do Vitória, Edmo Pinheiro do Goiás, Luis Bussab do Corinthians, Wellington Cerqueira do Bahia, Nelson Rocha do Vasco e Francisco Horta do Fluminense.

No momento não confirmaram o voto os presidentes Zezé Perrela do Cruzeiro, Roberto Dinamite do Vasco, Luis Álvaro do Santos, Alexi Portela do Vitória e Jair Cirino do Coritiba.

 

 Boca de urna: Koff 12 x 8 Kléber

O placar de momento aponta uma vitória apertada do atual presidente do Clube dos 13.

Os partidários da oposição concordam que o pleito será disputadíssimo. ¨Acho que vai dar 10 a 10¨, disse Andrés Sanchez, presidente do Corinthians.

Ao lado de Fábio Koff, o São Paulo está convicto da reeleição: ¨13 a 7, para o Koff. Acho difícil reverterem¨, aposta João Paulo de Jesus Lopes, diretor de futebol do tricolor.

 

 

Por Leandro Quesada às 19h39

Boca de urna: Koff 12 x 8 Kléber

O placar de momento aponta uma vitória apertada do atual presidente do Clube dos 13.

Os partidários da oposição concordam que o pleito será disputadíssimo. ¨Acho que vai dar 10 a 10¨, disse Andrés Sanchez, presidente do Corinthians.

Ao lado de Fábio Koff, o São Paulo está convicto da reeleição: ¨13 a 7, para o Koff. Acho difícil reverterem¨, aposta João Paulo de Jesus Lopes, diretor de futebol do tricolor.

Por Leandro Quesada às 13h16

11/04/2010

Heróico São Paulo não resiste aos meninos

O Santos largou na frente na primeira partida da semi do Paulistão.

A chance são-paulina estava no fato de atuar no Morumbi mas o time não conseguiu fazer o resultado que queria no estádio. A vitória projetada não veio. O empate não seria ruim diante das circunstâncias de jogar desde os 33 minutos da primeira etapa com dez jogadores depois da expulsão de Marlos.

Os meninos da Vila foram para cima do tricolor que mesmo com muita força na marcação não suportou e levou dois gols. A impressão de goleada santista não se configurou e veio a reação do SP.

Repetiu-se o cenário do clássico entre São Paulo e Corinthians, na fase de classificação, quando o time de Ricardo Gomes conseguiu empatar por 3 x 3 mas no final levou o quarto gol no Pacaembu.

O Santos recuperou uma vitória que parecia menos provável. Agora o peixe mesmo que perca por um gol de diferença estará na final. Ao São Paulo resta derrotar o rival por dois gols de diferença para eliminar a melhor equipe do Paulistão.

Uma árdua missão contra o time de Dorival Junior, que mesmo com altos e baixos durante o jogo se mostra quase imbatível.

Por Leandro Quesada às 21h10

Sobre o autor

Repórter e apresentador da rádio e TV Bandeirantes desde 1995, Leandro Quesada cobre os principais eventos da emissora. São 3 Copas do Mundo (1998, 2002 e 2006, além de coberturas jornalísticas de Campeonatos Brasileiros, Copas do Brasil, Estaduais, Libertadores, Mundiais de Clubes, Liga dos Campeões, eliminatórias da Copa, amistosos da seleção, Copa América, entre outros. Na Rádio Bandeirantes, é repórter e também apresentador do programa Esporte em Debate desde 1999. Na TV, é um dos comentaristas do Jogo Aberto, programa da Band, comandado por Renata Fan. Em 2002, ganhou o prêmio de melhor repórter esportivo dado pela Aceesp - Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo. O jornalista ainda foi um dos informantes da CPI CBF-Nike - que investigou o submundo do futebol brasileiro.

Sobre o blog

Paulistano nascido no bairro histórico do Ipiranga, criado na República da zona leste da capital, torcedor do Juventus da Mooca, Quesada trará matérias especiais e notícias exclusivas dos bastidores do futebol.