Blog do Quesada

Busca

29/05/2010

Blindagem segue em Johanesburgo

Pela primeira vez na atual cobertura da Copa 2010, a seleção brasileira deixa de falar com os jornalistas. Desde a minha primeira cobertura em 98, na França, registrei poucas vezes tal situação. Algo incomum em uma relação que foi sempre marcada pelas conversas diárias entre os craques e repórteres brasileiros.

O Big Brother 2006 em Weggis virou a desculpa para a CBF mudar a forma de se relacionar com a mídia. A seleção perdeu para a França de Zidane mas preferimos culpar a liberdade exagerada que a imprensa teve dentro da seleção pelo fracasso em Frankfurt.

O chefe de comunicação da CBF, Rodrigo Paiva, explica que os motivos foram ¨os excessos na preparação na Alemanha, muitos jornalistas e o Big Brother que mostravam a seleção o dia inteiro. Agora nós tomamos o cuidado de brecar um pouco isso¨.

Mesmo assim Paiva garante que a seleção brasileira será a ¨mais aberta¨ se comparada com as outras trinta e uma que disputarão o mundial aqui na África do Sul.

Por Leandro Quesada às 08h54

28/05/2010

Jabulani, o terror dos goleiros

No dia dos goleiros aqui em Johanesburg, quem pagou a conta foi a bola oficial da Copa do mundo. Júlio César, Doni, Gomes, Wendell e Taffarel conversaram com os jornalistas depois do treino.

Feita pela empresa Adidas, um dos principais parceiros da FIFA, a bola foi duramente criticada por Júlio César. ¨Horrível, horrorosa. Parece de supermercado. É muito ruim¨, disparou. O preparador de goleiros da seleção Wendell também: ¨É de plástico¨.

Os goleiros reclamam da bola pois a tal Jabulani facilita o trabalho de quem faz gols e, consequentemente, complica a vida daqueles que precisam agarrar e defender.

Jabulani é o terror do ¨porteiros¨ do mundo. Mas com todo o respeito a Júlio César, melhor assim. Os atuais defensores das redes estão cada vez mais eficientes e impedem que o placar em alguns jogos insista no 0 x 0.

Além da bola, a FIFA deveria aumentar o gol e impedir que os goleiros façam a defesa depois do rebote. Loucura!? Não. Os goleiros vão querer me matar, mas paciência. Quem sabe um GPS para ajudar os atacantes a acertarem o caminho do gol com mais facilidades, que tal?

Futebol sem gol, não é futebol. Aqui eu não me coloco na pele de goleiro e defendo que os jogos tenham muitos e muitos gols. Desculpem, goleiros do mundo!

Por Leandro Quesada às 17h16

27/05/2010

Cachê de 5 milhões para a seleção

Agora eu entendi a decisão de aceitar os convites para os jogos contra seleções inexpressivas antes da Copa do mundo. 

A CBF colocará nos cofres 5 milhões de euros para disputar amistosos contra Zimbabwe (dia 2) e Tanzânia (dia 7).

Se tecnicamente se discute a qualidade dos adversários que não figuram entre os 100 melhores no ranking da FIFA, quando analisamos apenas o quesito financeiro, o valores são considerados altos e a entidade fecha desta forma um bom negócio.

Por Leandro Quesada às 19h17

Amistosos: Dunga não garante Kaká

¨Vamos dosar aos poucos para que ele esteja bem na estreia na Copa do mundo¨, revela o técnico.

Dunga não confirma ainda a participação do meio-campista nos amistosos contra Zimbabwe e Tanzânia, que servem para dar ¨ritmo aos jogadores¨.

Kaká se recuperou de contusão na coxa e agora terá quase três semanas para ficar inteiro para o primeiro jogo do Brasil na Copa contra a Coréia do Norte.

Dunga revelou que o ex-são-paulino passa pelo processo de ¨reforçar a musculatura¨.

Por Leandro Quesada às 11h32

25/05/2010

Na vaga de Roberto Carlos

O dono da posição de lateral esquerdo na seleção brasileira está indefinido. Gilberto foi o jogador mais vezes convocado no setor pelo técnico Dunga e Michel Bastos nas últimas apresentações carimbou o passaporte. Muita gente ficou para trás: Fábio Aurélio, André Santos, Marcelo, Kléber, Juan...

Houve uma época em que ao falar das laterais ninguém tinha dúvida de que Roberto Carlos era o dono da ¨esquerda¨ e na outra banda quem comandava era Cafu.

A propósito, Cafu atuou 150 vezes pela seleção e Roberto 132. O tempo dos dois passou. Cafu pendurou as chuteiras, mas o corintiano alimentou as esperanças até o dia da convocação final.

Se na direita tem Maicon com Daniel Alves como ¨sombra¨, na esquerda é difícil arriscar o nome do titular.

Gilberto, meio-campista no Cruzeiro, deixa claro que a posição dele é mesmo a lateral e exige não ser comparado com Roberto Carlos.

Por Leandro Quesada às 19h03

Antes da Copa, Tanzânia e Zimbabwe...

É meu amigo! Lá vamos nós, para dois dos mais pobres países da África. A CBF vai confirmar em breve dois amistosos contra seleções sem expressão no futebol, possivelmente nos dias 2 e 7 de junho.

No ranking de seleções da FIFA, a Tanzânia está na 108° posição e Zimbabwe ocupa o posto de número 113. Para comparar, a Coréia do Norte, a primeira adversária do Brasil, está em 106° lugar.

Não é o ideal, claro, mas a seleção brasileira precisa jogar antes da Copa. A última vez que o time de Dunga entrou em campo foi em março contra a Irlanda em Londres.

O técnico da seleção tanzaniana é um brasileiro pouco conhecido da gente, Marcos Máximo, que treina a equipe desde 2006.

Historicamente, a seleção brasileira enfrentou adversários fracos ou sem tradição no futebol, antes das Copas. A lista tem Andorra, combinado de Lucerna, Nova Zelândia, Malásia, Islândia, combinado da Umbria.

Vencer e convencer nos jogos contra tanzanianos e zimbabuanos é mais do que obrigação, é uma questão de honra para um time pentacampeão. Já uma derrota é a porta para dezenas de críticas fora de hora que não interessam às vésperas de uma Copa do mundo.

Por Leandro Quesada às 23h48

23/05/2010

Os cuidados com as palavras na seleção...

Os treinos com bola ainda nem começaram, mas fora de campo o time de Dunga já mostra certo entrosamento, pelo menos no discurso pré-Copa.

Os jogadores estão bem treinados com as palavras e afinados com a cartilha do técnico que indica cuidados na hora das entrevistas.

Não sei se com este comportamento o Brasil ganhará o mundial da África do Sul mas comprova a preocupação com a fatídica e já ¨manjada¨ participação brasileira na Alemanha em 2006, em que se falou muito e não se jogou nada.

A blindagem da CBF contra os jornalistas passa pelo controle de tudo que será pronunciado dentro da delegação.

Me preocupo apenas com a dificuldade dos jornalistas em encontrar as notícias, algo que pode gerar um volume de especulações, informações incorretas e fofocas na cobertura da mídia.

Por Leandro Quesada às 16h18

Sobre o autor

Repórter e apresentador da rádio e TV Bandeirantes desde 1995, Leandro Quesada cobre os principais eventos da emissora. São 3 Copas do Mundo (1998, 2002 e 2006, além de coberturas jornalísticas de Campeonatos Brasileiros, Copas do Brasil, Estaduais, Libertadores, Mundiais de Clubes, Liga dos Campeões, eliminatórias da Copa, amistosos da seleção, Copa América, entre outros. Na Rádio Bandeirantes, é repórter e também apresentador do programa Esporte em Debate desde 1999. Na TV, é um dos comentaristas do Jogo Aberto, programa da Band, comandado por Renata Fan. Em 2002, ganhou o prêmio de melhor repórter esportivo dado pela Aceesp - Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo. O jornalista ainda foi um dos informantes da CPI CBF-Nike - que investigou o submundo do futebol brasileiro.

Sobre o blog

Paulistano nascido no bairro histórico do Ipiranga, criado na República da zona leste da capital, torcedor do Juventus da Mooca, Quesada trará matérias especiais e notícias exclusivas dos bastidores do futebol.